7-tipos-de-golpe-em-pagamentos-online-e-como-evitá-los-com-o-sistema-antifraude-da-PayU

7 tipos de golpe em pagamentos online e como evitá-los com o sistema antifraude da PayU

As fraudes nos pagamentos online crescem constantemente. Elas não são exclusivas de pagamentos com cartão de crédito. Métodos de pagamento alternativos também são alvos de ações de fraudadores. Criminosos cada vez mais sofisticados em golpes online utilizam dados para gerenciar logins bancários por telefone, tablets ou computadores para cometer fraudes nas transações.

O Fcontrol, sistema antifraude da PayU, entende que cada empresa tem a sua necessidade. Por isso, aprende e adapta seu modelo dependendo da categoria de seu negócio. A medida que começa a receber pagamentos, o módulo acrescenta informações e se fortalece para proteger suas vendas de fraudes.

Além disso, a equipe de risco do Fcontrol gerencia e monitora o comportamento da ferramenta. As regras dentro do sistema antifraude podem ser ajustadas, de acordo com as necessidades do cliente. Você conta com uma versão única para proteger o seu negócio.

Tipos mais comuns de fraudes

Para conseguir proteger é crucial entender quais são as ameaças. Confira os tipos de fraudes mais comuns:

1 - Roubo de identidade:

Com o roubo de identidade criminosos realizam transações usando identidades diferentes. Os fraudadores visam informações pessoais como nomes, endereços, e-mail ou informações de cartão de crédito ou conta bancária. Os golpistas usam as informações para efetuar transações com nome falso, efetivar pagamentos com informações de cartões de outras pessoas ou debitando automaticamente em contas alheias. O roubo de senha é, muitas vezes, o suficiente para que criminosos se apropriem de identidades alheias. Isso pode ser usado para assumir uma conta existente em uma loja online, pois, geralmente, os dados de pagamento ficam armazenados na conta do usuário. Ataques de hackers em provedores de comércio eletrônico e roubo de dados de clientes também se enquadram nesta categoria de fraude.

2 - Fraude amigável:

Os clientes encomendam bens e serviços e pagam por eles. No entanto, iniciam processo de chargeback alegando que seus dados de cartão foram roubados. Em alguns casos, eles são reembolsados mas mantém os bens ou serviços. Os criminosos usam dados roubados para pagar suas compras, porém não enviam seus endereços domiciliares, utilizam dados de intermediários para efetuar as compras e encaminhar os produtos ou serviços.

3 - Fraude limpa:

O princípio da fraude limpa é o uso de cartão roubado para fazer uma compra mas a transação é manipulada e as funções de detecção de fraude são contornadas. Os criminosos usam análises sonoras dos sistemas de detecção de fraudes implantadas, além de obterem grande conhecimento sobre os legítimos proprietários dos cartões roubados. Uma grande quantidade de informações corretas são inseridas durante o processo de pagamento para que a solução de detecção de fraude seja enganada.

4 - Fraudes de afiliados:

Trata-se da manipulação de estatísticas de tráfego ou inscrição de afiliados para obtenção de pontos ou de dinheiro em programas de membros de algum tipo de programa. Criminosos usam processos automatizados para obter dados de pessoas reais e fazer login em sites utilizando contas falsas.

5 - Fraude de triangulação:

Neste caso, a fraude é realizada em três pontos:

  1. Uma loja online falsa oferece produtos de alta demanda com preços baixíssimos com o objetivo de obter dados e informações de clientes e utilizá-las depois.

  2. Uso de outros dados roubados do cartão de crédito para encomendar produtos em uma loja existente.

  3. Uso de dados do cartão para efetuar compras adicionais. Neste caso, a fraude permanece desconhecida por longo tempo, o que resulta em danos maiores.

6 - Fraude do comércio:

Os bens são oferecidos por preços baixos mas não são enviados aos compradores, porém, os pagamentos são mantidos.

7 - Fraudes internacionais:

São desafiadoras pois as barreiras linguísticas e as dificuldades em manter abas internacionais para os clientes são pontos de atenção e preocupação adicionais para o gerenciamento de fraudes. O ponto principal neste caso é a falta de integração de sistemas para fornecer uma visão unificada de todas as transações em diferentes mercados.

Os métodos de fraude variam dependendo do canal de vendas e a gestão de riscos. O prejuízo pode custar milhões. Para reduzir os riscos de golpes é recomendável possuir boa estratégia de segurança.

Investir em sistema antifraude, análise de comportamentos e atividades dos compradores é crucial para evitar transações fraudulentas.

Dicas para evitar fraudes

Selecionamos algumas dicas para evitar que ações fraudulentas ocorram em sua empresa:

  • Travas de segurança e monitoramento para detectar ações suspeitas

  • Verificação de nome e senha de usuário

  • Perguntas de segurança

  • Geolocalização do comprador

  • Verificação de IP do computador do cliente

  • Comparação de endereços de entrega e pagamento

  • Telefonemas e envio de e-mails entre loja e comprador


O investimento em prevenção é muito menor quando comparado ao custo para reparar os prejuízos de uma fraude. Desse modo, contar com sistema antifraude e parcerias com especialistas em segurança da informação podem ser a solução mais eficaz para minimizar os transtornos com ações fraudulentas.

Sua empresa está protegida?

Guia PayU Tudo sobre pagamentos online